segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Conhecendo Lisboa

Esta série de fotos foram tiradas durante um passeio por Baixa-Alfama 09/11/2008, organizado pelos meus amigos do ClubeBelaVistaAventura.Muitas mais foram tiradas e muitissimas mais ficaram por tirar.










Ponto de Encontro (Teatro D.Maria II)










Rossio





Elevador de Santa Justa






Arco da Rua Augusta








Casa dos Bicos







Casa dos Bicos (traseiras)









Alfama

(Poema de Ary dos Santos)



Quando Lisboa anoitece

como um veleiro sem velas


Alfama toda parece


Uma casa sem janelas


Aonde o povo arrefece



É numa água-furtada


No espaço roubado à mágoa


Que Alfama fica fechada


Em quatro paredes de água


Quatro paredes de pranto



Quatro muros de ansiedade


Que à noite fazem o canto


Que se acende na cidade


Fechada em seu desencanto


Alfama cheira a saudade



Alfama não cheira a fado


Cheira a povo, a solidão,


Cheira a silêncio magoado


Sabe a tristeza com pão


Alfama não cheira a fado


Mas não tem outra canção.






Pausa no Largo de S.Miguel (Alfama é dureza)





Santo António Padroeiro de Lisboa sempre presente em Alfama

Sem comentários: